Letícia Ramos
1976, Santo António da Patrulha

Letícia Ramos nasceu em 1976 em Santo António da Patrulha; atualmente vive e trabalha em São Paulo, no Brasil. Licenciou-se em Arquitectura e Urbanismo na UFRG, em Rio Grande do Sul e em Cinema na Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP, em São Paulo. Realizou exposições individuais e colectivas em diversas instituições públicas e privadas, das quais se destacam: Tate Modern, Londres (2007); Centro de Arte Pivô, São Paulo (2013); Itaú Cultural, São Paulo (2009); Centro Cultural São Paulo (2010); Museu Colecção Berardo, Lisboa (2014) ; Instituto Tokie Ohtake, São Paulo (2014) e CAPC – Musée d’Art Contemporain, Bordeaux, França. Ganhou importantes prémios e bolsas de produção artística tais como o Prémio Marc Ferréz e participou em diferentes residências artísticas, entre as quais The Artic Circle (2011) a bordo de um veleiro rumo ao Pólo Norte. O trabalho fotográfico produzido durante a expedição foi vencedor do Prémio Brasil Fotografia – pesquisas contemporâneas (2012). Em 2013, participou do programa Islan Session da 9º Bienal do Mercosul. Em 2014, foi contemplada com a Bolsa de Fotografia do Instituto Moreira Salles onde desenvolveu a pesquisa “MICROFILME” e ganhou o prémio internacional de fotografia BES Photo. Recentemente recebeu a Bolsa de Artes da Fundación Botin (Espanha) para o desenvolvimento do projeto “Historia Universal de Los Terremotos” e foi uma das artistas finalistas do Prémio PIPA 2015, tendo sido nomeada novamente para o PIPA 2016. O seu trabalho está presente em diversas coleções públicas, tais como: MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo; Brasil; MAR- Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; Brasil; Itaú Cultural, São Paulo, Brasil; MAC – Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul, Brasil; Instituto Moreira Salles, Rio de Janeiro, Brasil e Nouveau Musée National de Monaco.

Letícia Ramos explora os limites da produção e da exegese da imagem analógica por meio de trabalhos de fotografia e filme — que também se desdobram em instalações, objetos, publicações e performance. A sua prática direciona-se para as interseções estéticas entre o documental e o ficcional, exercitando-se entre paisagens naturais e imaginárias, entre os discursos de registros históricos e os das figuras inventadas; e explorando a relação entre memória gráfica e a natureza do abstrato e do espectral.

OBRAS

Obras Selecionadas

Algumas das

Exposições

Letícia Ramos | A Grande Onda

Milk (1984), de Jeff Wall , é uma das mais intrigantes imagens da história da fotografia contemporânea, e uma (inesperada) porta de acesso ao mais recente conjunto de trabalhos de Letícia Ramos, em exposição na Galeria Filomena Soares

Exposição Colectiva | Maré

Sob o título “Maré”, a presente exposição toma como ponto de partida o núcleo dos artistas representados pela Galeria Filomena Soares.

Notícias

morada

Rua da Manutenção nº 80 (Xabregas)
1900-321 Lisboa | Portugal

Autocarro: 718, 728, 739, 742, 759

Horário

Terça-feira a Sábado das 10h às 19h
Domingo e Segunda-feira: Fechado

contactos

info@gfilomenasoares.com

T: +351 218 624 122
Chamada para a rede fixa nacional

M: +351 962 373 956
Chamada para a rede móvel nacional

Redes sociais

Newsletter

Nenhum Resultado Encontrado

Não existem artigos correspondentes nesta secção.