Andreia Santana
1991, Lisboa

Andreia Santana vive e trabalha entre Lisboa e Nova Iorque. Concluiu a licenciatura em Artes Plásticas na ESAD – Escola de Artes e Design de Caldas da Rainha e participou do Programa de Estudos Independentes em Artes Visuais da Maumaus / Lumiar Cité em Lisboa. Desde 2013, tem participado em vários programas de residências artísticas, nomeadamente a Residency Unlimited, em Nova Iorque, com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, Panal 360 em Buenos Aires, Mieszkanie Gepperta Residency Gallery em Varsóvia, Polónia e Gasworks – Triangle Network no Hangar, em Lisboa.

Ganhou o Prémio NOVO BANCO Revelação em 2016 e o Prémio de Escultura D. Fernando II. Exibe regularmente o seu trabalho em Portugal e no estrangeiro, com destaque para as exposições: ‘História da Falta’ no Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto (2017); ‘New Skin, Old Stone’ no Old School, curadoria de Susana Pomba, Lisboa (2017); ‘The Lobster Loop’ na MONITOR Gallery, Lisboa (2017) ‘Pousio / Fallow’ (screening) – Fuso, MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, Lisboa (2016); ‘Tabula Rasa’ na Zaratan – Arte Contemporânea, Lisboa (2015) e ‘No water on the other’s edge’ na Galeria Mieszkanie Gepperta, Varsóvia. Também, em 2021 ganhou a bolsa de artes visuais da Fundação Calouste Gulbenkian.

As suas obras comtemplam as coleções de: Colecção António Cachola, MACE, Elvas PT, Colecção Figueiredo Ribeiro, QuArtel, Abrantes PT, Colecção da Câmara Municipal de Torres Vedras, Torres Vedras PT, Colecção MU.SA – Museu de Arte Contemporânea , Sintra PT.

Em 2013 teve a sua primeira exposição individual “No water on the other’s edge”, na  Galeira  Mieszkanie Gepperta na Polónia; em 2015 “Pousio/Fallow”, no Museu Naónio Duarte nas Caldas da Rainha; em 2017 “ Leaves of Abscence”, no Museu de Arte Contemporânea de Serralves no Porto; em 2018 “The Outcast Manufacturers” na Galeria Filoeman Soares em Lisboa; em 2020 “Hollow Hands” na Galeria UNA em Milão e tmabém “The Skull of the Haunted Snail” no Hangar em Lisboa. Em 2021 “Shell Game (w/ Anna-Sophie Berger) na Galeria Filomena Soares, “Overlapses, Riddles & Spells” comissariado pela BoCA no Centro Cultural de Belém em Lisboa e “water stains” na galeria In Extenso em França.

A investigação artística de Andreia Santana observa e apropria-se das técnicas específicas da arqueologia para analisar a produção contemporânea da cultura material. Ao fazê-lo, concentra o seu trabalho na capacidade dos objetos de testemunhar o tempo e em temas como o trabalho e o regime de poder e interesses culturais que contribuem para as grandes narrativas. Trabalha com vários meios, escultura, fotografia, vídeo e instalação. E talvez seja por esta multitude de meios que o seu trabalho invoca uma certa poesia nostálgica.

 

OBRAS

Obras Selecionadas

Algumas das

Exposições

Shell Game

O caranguejo-eremita, é um crustáceo sem concha própria, condenado a levar a vida como nómada, mudando constantemente de casca à medida que cresce.

Andreia Santana | the outcast manufacturers

As mais recentes instalações de Andreia Santana inseridas na primeira exposição individual da artista na Galeria Filomena Soares, resultam da sua pesquisa atual em torno da obra do arquivista de objetos e investigador de fenómenos anómalos, William Corliss. Iniciada aquando em residência nos arquivos do Peabody Museum em Harvard.

Exposição Colectiva | Maré

Sob o título “Maré”, a presente exposição toma como ponto de partida o núcleo dos artistas representados pela Galeria Filomena Soares.

morada

Rua da Manutenção nº 80 (Xabregas)
1900-321 Lisboa | Portugal

Autocarro: 718, 728, 739, 742, 759

Horário

Terça-feira a Sábado das 10h às 19h
Domingo e Segunda-feira: Fechado

contactos

info@gfilomenasoares.com

T: +351 218 624 122
Chamada para a rede fixa nacional

M: +351 962 373 956
Chamada para a rede móvel nacional

Redes sociais

Newsletter

Nenhum Resultado Encontrado

Não existem artigos correspondentes nesta secção.