Pilar Albarracín
1968, Aracena, Espanha

Pilar Albarracín nasceu em Aracena (Huelva), Espanha. Obteve o B.F.A. da Universidade de Sevilha em 1993. O seu trabalho foi tema de exposições individuais na Galería Juana de Aizpuru em Madrid e Sevilha; Sala Montcada de la Fundació La Caixa, Barcelona; Centro Atlántico de Arte Moderno, Las Palmas de Gran Canaria; Reales Atarazanas de Sevilla, Espanha; Filomena Soares, Lisboa. Foi incluída em exposições coletivas em locais como o Macedonian Museum of Contemporary Art, Thessaloníki, Grécia; P.S.1 Contemporary Art Center, Nova Iorque; Museo de Arte Contemporáneo Español, Valladolid, Espanha; Centre National d’Art et du Paysage de Vassivière en Limousin, França; İstanbul Modern Sanat Müzesi; Magasin 3 Stockholm Konsthall. Albarracín participou também na Primeira Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Sevilha, em 2004, e na Bienal de Arte Contemporânea de Moscovo e na Bienal de Veneza, em 2005. Atualmente vive e trabalha em Madrid. Albarracin foi apresentada na exposição Global Feminisms, comissariada por Maura Reilly e Linda Nochlin.

Depois de se formar em 1993 na Escola de Belas Artes de Sevilha, Pilar Albarracín tornou-se rapidamente uma grande artista, primeiro na cena artística contemporânea espanhola e depois no palco internacional, através do seu trabalho militante, onde foi dado orgulho às suas críticas sobre as desigualdades entre mulheres e homens na sociedade espanhola pós-Franco. Produziu instalações, fotografias e vídeos, assim como, e sobretudo, performances, nas quais encarnou diferentes tipos de mulheres (prostituta, dançarina, cantora, cigana, dona de casa e emigrante), nas quais desconstruiu clichés com sarcasmo e ironia, especialmente a imagem da mulher andaluza, glorificada durante o regime de Franco, a quem parodiou utilizando componentes da identidade nacional: religião, folclore, dança, tourada, flamenco, e gastronomia.

OBRAS

Obras Selecionadas

Algumas das

Exposições

Exposição Colectiva | Maré

Sob o título “Maré”, a presente exposição toma como ponto de partida o núcleo dos artistas representados pela Galeria Filomena Soares.

Pilar Albarracín | 300 Mentiras (Primeira parte)

A procura da verdade tem motivado um trabalho incessante entre os filósofos e grandes pensadores ao longo dos séculos; e, cada vez mais, as suas descobertas têm conduzido a diversos caminhos.

Notícias

morada

Rua da Manutenção nº 80 (Xabregas)
1900-321 Lisboa | Portugal

Autocarro: 718, 728, 739, 742, 759

Horário

Terça-feira a Sábado das 10h às 19h
Domingo e Segunda-feira: Fechado

contactos

info@gfilomenasoares.com

T: +351 218 624 122
Chamada para a rede fixa nacional

M: +351 962 373 956
Chamada para a rede móvel nacional

Redes sociais

Newsletter