Susy Gómez

Lettres d´amour

2007-09-13 | 2007-10-19

SUSY GÓMEZ
LETTRES D´AMOUR


13 de Setembro a 19 de Outubro 2007


A Galeria Filomena Soares tem o prazer de apresentar a exposição Lettres d'Amour de Susy Gómez, que irá inaugurar a 13 de Setembro e decorrerá até 19 de Outubro de 2007.

Depois de duas primeiras passagens por Portugal, em 1994 e em 2002, Susy Gómez expõe pela primeira vez em Lisboa. Pertencente à geração de artistas espanhóis que emergiram na década de 1990, entre eles Monserrat Soto, Javier Pérez ou Antoni Abad, Susy Gómez tem desenvolvido desde Sem Título, 1993, aquela que viria a ser a sua primeira exposição individual de maior repercussão, um trabalho centrado num discurso sobre a representação do corpo e a identidade feminina, partindo frequentemente de registos autobiográficos.
Lettres d'Amour, reúne um conjunto de obras especificamente produzidas para esta mostra que, organizada em núcleos de fotografia, pintura, escultura e vídeo, retoma alguns dos aspectos plásticos e conceptuais mais recorrentes do seu trabalho. Assim, desde logo, se torna evidente a liberdade com que Susy Gómez usa diferentes media e a sua forte capacidade de os articular, dando lugar a jogos perceptivos ambíguos e simultaneamente muito estimulantes, presentes sobretudo no caso da série de esculturas ou das fotografias de grande formato. Se as esculturas, realizadas em bronze ou em alumínio fundidos, tais como as cachos de uva ou os vestidos, tomam como modelos objectos e elementos do quotidiano, também as fotografias, manipuladas com tinta acrílica, resultam de um processo de apropriação e de reconfiguração de imagens encontradas em diversos suportes, como as revistas de moda. Estamos perante fotografias que originam estranhas mas sedutoras representações do corpo feminino, quase sempre coberto por elementos pictóricos que devolvem à própria imagem uma grande textura e densidade, propriedades que, aliás, encontramos também desenvolvidas no grupo de pinturas abstractas.
Paralelamente, são, no entanto, as pinturas de fundo negro, de onde irrompem inesperadamente diferentes signos, as mais inquietantes e de maior pendor ficcional. Assim, é possível encontrar um navio, uma flor, uma corrente ou um olho que espreita, que parecem pertencer a uma narrativa ou memória que nunca chegam a ser reveladas pela artista.
Outro dos trabalhos centrais desta exposição intitula-se Father Mother. Trata-se de um vídeo performance realizado num estúdio de Constelações Familiares, segundo o método de Bert Hellinger, que reúne uma sucessão de Imagens e Movimentos de Sanação executados por participantes reais, sob a direcção de uma terapeuta. Neste processo de autotranscendência, do conhecimento de si mesmo, dá-se uma profunda desmaterialização do próprio ego da artista.
Com combinações e configurações diversificadas, Lettre d'Amour constitui-se como um poema visual tridimensional, por vezes obscuro, intimista e apaixonado.

Susy Gómez (n. 1965, Pollença, Maiorca) estudou na Faculdade de Belas Artes em Barcelona e tem exposto individualmente com regularidade: Desert Shore, Galería Soledad Lorenzo, Madrid (2007); Parcours par coeur, Museo de Navarra, Navarra (2004); Donde tu estas. Muestra 2. Mexico D. (2003) e Algunas Cosas Que LLamaba Mías .Centre del carmen. IVAM, Valencia. (2000). Tem participado igualmente em importantes exposições colectivas, nomeadamente: Las tres dimensiones del Quijote, NASJONALMUSSET, Oslo e Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía. Madrid (2006); Brave New World, Centre of Contemporary Art Ileana Tounta, Atenas (2003) e Big Sur., Nuevo Arte Español, Hamburguer Bahnhof Museum fur Gegenwart Berlin, Berlim (2003). Está representada em diversas colecções: CAC Centro de Arte Contemporáneo Malága, Málaga; Ileana Tounta Contemporary Art Centre, Atenas; Fundación La Caixa - CaixaForum, Barcelona e Musée d'Art Moderne et d'Art Contemporaine-NICE, Nice.