Igor Jesus

Igor Jesus - Amar-te os ossos

2017-05-11 | 2017-09-09

Igor Jesus

Amar-te os ossos

 

11.05 - 09.09.2017 (encerrada no mês de Agosto)

Inauguração 11.05.2017 - 21h30

 

 

 

Amar-te os ossos, exposição individual de Igor Jesus, inaugura no próximo dia 11 de Maio, na Galeria Filomena Soares, em Lisboa, e estará patente até ao dia 9 de Setembro (encerra durante o mês de Agosto). 

 

Esta é a segunda exposição individual do artista nesta galeria, onde será apresentado um conjunto alargado de novos trabalhos, desenvolvidos por Igor Jesus entre 2016 e 2017.

 

 

Amar-te os ossos resulta da investigação artística do artista em torno da colonização do corpo e da precariedade matérica e identitária a partir de Salò, ou os 120 Dias de Sodoma (1975), a derradeira obra de Pier Paolo Pasolini. Este projecto, desenvolvido em residência na Künstlerhaus Bethanien em Berlim, pretende explorar de que forma os corpos e os sujeitos são produzidos, apropriados e colonizados pelos próprios dispositivos de captação e criação de imagens. Para tal, através de uma aturada investigação, o artista partiu em busca dos actores que desempenharam o papel de escravos no filme-testamento dePasolini, resgatando e reapropriando-se, por via da imagem, desses corpos olhados, no filme, como produto-desperdício.

 

Desta pesquisa resultaram encontros e conversas com os actores Umberto Chessari e Bruno Musso cujos corpos se inscrevem em omnipresença na exposição.  Amar-te os ossos concorre para o entendimento de um vórtice visualista em que o corpo cria imagens e as imagens criam corpos, mas também os alteram, ferem e condicionam. Chessari e Musso atestam o modo violento como os dispositivos de criação e captação de imagens actuam directamente sobre corpos e matéria, tendo consequências intangíveis, mas também tangíveis e reconhecíveis através da visão e dos mecanismos da visualidade.