Ângela Ferreira

Hollows, Tunnels, Cavities, and More

2015-09-24 | 2015-11-20

A Galeria Filomena Soares tem o prazer de apresentar a exposição HOLLOWS, TUNNELS, CAVITIES, AND MORE da artista ÂNGELA FERREIRA (Maputo, 1958). A exposição inaugura no dia 24 de Setembro e estará presente até ao dia 14 de Novembro de 2015.


A presente exposição reúne material de variadas obras recentes, situando-se no cruzamento de diferentes eixos investigativos que focam o espaço, a forma, o som e a projeção de imagem como potencial para criações de sentido político. A investigação nasceu da observação dos desenhos de Robert Smithson sobre buracos, cavidades e formas encontradas na paisagem, em particular Towards the Development of a "Cinema Cavern" de 1971 e Underground Projection Room (Utah Museum Plan), 1971. Interessou-me a metáfora do movimento espiralado do parafuso que escava o solo e que nos remete para a industria mineira. O interior sinistro de um espaço que se transforma em sala de projeção é um dos meus temas favoritos que finalmente desenvolvi na recente obra A Tendency to Forget (2015). As cavernas, os túneis e as formas que de início vi como potenciais espaços de projeção de filmes (como nos desenhos de Robert Smithson) aparecem mais tarde em Stone Free (2012), através da performance de Jimmy Hendrix na Chislehurst Cave em Londres onde se continuou a exploração das conexões entre espaço e som.

Refiro-me ao passado e ao presente, à dolorosa e complexa história mineira na África do Sul e em Moçambique, e até à escultura pública de Lubumbashi, República Democrática do Congo, Entrer dans la Mine (2013). Lembro visualmente os buracos gigantescos das minas, que testemunham a incomensurável ganância humana e que presenciaram dor, tristeza, subjugação e exploração. Também aponto para as montanhas de pedra e escória criadas pela escavação mineira. Finalmente conecto a história de uma mina na zona leste da cidade de Londres que nos anos 1960 se tornou um local de música "underground" sinónimo da primeira apresentação pública da canção Stone Free de Jimmy Hendrix. Este é o titulo ambíguo de uma das canções emblemáticas de Hendrix e da sua procura de liberdade pessoal. Hendrix é usado como imagem popular que personifica a ideia de revolução (pela sua inventividade técnica e virtuosidade) e liberdade.

Hollows, Tunnels, Cavities and More manifesta-se numa série de esculturas que reúne imagens de todos os projetos. É o resultado de um processo de construção intuitiva a partir de material de investigação. Esta é uma interpretação subjetiva e livre do acumular de imagens escultóricas e conhecimentos adquiridos no exercício do desenho.