Rodrigo Oliveira

: - )

2007-06-21 | 2007-09-08

 

 

RODRIGO OLIVEIRA
: - )

21 de Junho a 8 de Setembro 2007

A Galeria Filomena Soares tem o prazer de apresentar : - )

A segunda exposição individual de Rodrigo Oliveira, que irá inaugurar a 21 de Junho e decorrerá até 8 de Setembro de 2007.

Após a sua estadia de um ano no Chelsea College of Art & Design em Londres, Rodrigo Oliveira reúne na presente exposição um conjunto de novos trabalhos que, realizados em diversos suportes e materiais, surgem na sequência de um estudo em torno, por um lado, das funções e características de espaços arquitectónicos e, por outro, dos mecanismos de produção, apresentação e recepção da arte, tomando como pontos de partida os conceitos de desmaterialização, vazio (emptiness) e ciclos de transformação.

Se rapidamente identificamos uma clara herança do modernismo na composição formal da sua obra, havendo por vezes em alguns dos seus trabalhos citações directas a nomes como Le Courbusier, Mies van der Rohe ou Mondrian, ela é trabalhada por Rodrigo Oliveira não exclusivamente com um sentido estético mas sobretudo com um propósito crítico. Interessado em explorar o conflito entre os resultados das promessas do projecto modernista e as suas falhas nas vertentes política, social e cultural, Oliveira devolve-nos um olhar sobre situações absurdas do nosso quotidiano, decorrentes das recentes alterações do espaço urbano e de fenómenos como a gentrificação, ao qual se encontram associados o alargamento dos subúrbios ou a proliferação dos condomínios fechados e a consequente redução da espaço público.

Paralelamente encontramos também em Oliveira um discurso crítico aplicado aos papéis e funções das instâncias instituição, artista e público, provocando múltiplas deslocações. Neste sentido, recorre com frequência a intervenções site-specific, transpondo os limites do objecto para o próprio espaço, questiona o lugar do artista como produtor bem como a natureza reprodutível do objecto e estabelece com o público várias proposições assentes em contínuos jogos de subversão que envolvem o objecto e suas funções iniciais, deturpando assim determinadas expectativas. A este respeito é importante salientar, o uso da linguagem que o artista faz em muitas das suas obras apresentadas nesta exposição e que remetem quase sempre para processos tautológicos e irónicos.

Rodrigo Oliveira (n. 1978, Sintra) vive e trabalha em Lisboa. Licenciou-se na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e estudou na Maumaus - Escola de Artes Visuais, Lisboa, tendo recebido uma bolsa de estudo do Programa Erasmus para a UDK, Universität der Künste Berlin, Alemanha. Recentemente completou o seu MA na Fine Arts at Chelsea College of Art & Design em Londres. Participou em várias exposições de grupo e individuais incluindo: At First Sight, Project room, Galeria Filomena Soares, Lisboa; Festival Portugais, Point Éphemere, Paris, 7/10 (Sete artistas ao Décimo Mês), CAM, Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa; There's no place like home: and other site-specificities, Homestead gallery, Londres e Extended Platforms: Susak Expo, Susak Island, Croácia, tendo sido convidado a participar na exposição Agorafolly, representação de Portugal na Europália 2007, Bruxelas.