Galeria

Galeria Filomena Soares na FRIEZE e FIAC

2008-10-11

 A Galeria Filomena Soares marcará presença nas próximas edições das seguintes feiras:

FRIEZE | STAND H7

A Galeria Filomena Soares apresentará em cada um dos dias da próxima edição da Feira de Arte Contemporânea de Londres, um diferente artista nacional, a saber:

 

15 de Outubro- Vasco Araújo

16  de Outubro - Helena Almeida

17 de Outubro - Ângela Ferreira

18 de Outubro - José Pedro Croft

19 de  Outubro - Colectiva de artistas da galeria

 

O projecto que a Galeria Filomena Soares se propõe apresentar na próxima edição da Frieze vem no seguimento do trabalho que tem vindo a desenvolver desde que iniciou a sua actividade: promover e impulsionar a arte portuguesa contemporânea a partir do contacto com a produção artística internacional, o que, refira-se, em muito tem contribuído para estimular a carreira dos nossos artistas. Simultaneamente, tem proporcionado variadíssimas colaborações e relações de intercâmbio que nos possibilitaram trazer ao conhecimento do púbico português artistas estrangeiros, entre outros, Förg, Imi Knoebel, Peter Zimmermann, Renée Green, Ghada Amer, Tracey Moffatt, Allan Sekula, Dias & Riedweg, Muntadas, agitando, deste modo, o mercado nacional.

 

Assim, a escolha dos artistas que fazem parte do projecto da nossa candidatura Ângela Ferreira, Helena Almeida, José Pedro Croft e Vasco Araújo - relaciona-se com o facto de entendermos ser de suma importância valorizar e pôr em confronto artistas nacionais naquela que é considerada uma das mais importantes feiras de arte contemporânea a nível mundial. Para o efieto, seleccionamos quatro consagrados artistas portugueses, que em anos de activa colaboração com a Galeria Filomena Soares, têm alcançado projecção e distinções internacionais - Ângela Ferreira foi convidada a participar na Bienal de Veneza de 2007 com a instalação Maison Tropical, posteriormente adquirida pelo Museion Bolzano (Itália), e, este ano recebeu novamente o convite de uma Bienal, desta vez a de São Paulo, na qual marcará presença com uma obra realizada para o evento; Helena Almeida, reconhecida artista portuguesa, mestre da fotografia contemporânea, para além de ter sido a artista convidada a representar Portugal na 51º Edição da Bienal de Veneza em 2005, tem sido distinguida com variadíssimos prémios e exposições internacionais a testemunha-lo mencionem-se, por exemplo, os prémios que recebeu na Bienal Internacional de Cagnes-sur-Mer (1976), na Bienal Europeia de Gravura de Mulhouse (1978) e na XI Bienal de Tóquio (1979) ou, ainda este ano, o Prémio Estremadura, e, por último, o facto de ter sido convidada pela organização da próxima edição da Bienal de São Paulo a participar do ciclo de conferências que fazem parte da programação daquele evento; José Pedro Croft, notável artista nacional, tem levado com êxito, ao longo de mais de mais de duas décadas de actividade artística, as suas esculturas minimalistas em ferro, vidro e espelho, as suas gravuras ou pinturas a acrílico, além-fronteiras, mediante exposições em galerias ou outras instituições de renome, Pinacoteca do Estado de São Paulo ou no MUDAM Luxembourg - Musée d'Art Moderne Grand-Duc Jean; Vasco Araújo, um dos mais proeminentes jovens artistas portugueses, tem trilhado um caminho notável, sendo já considerado um artista de referência da arte contemporânea nacional e internacional. Com apenas 33 anos, Vasco Araújo tem a sua obra representada em importantes colecções públicas e privadas tanto nacionais como internacionais, e participou em variadíssimas exposições, residências e eventos artísticos, recorde-se os projectos expositivos integrados nas Bienais de Veneza ("Experience of Art", 2005 curadoria de Maria de Corral) e de Sidney (The World may be fantastic", 2002, curadoria de Richard Grayson). Este ano, o artista, viu o seu ainda promissor percurso ser reconhecido com os convites para realizar uma exposição individual, Eco, na conceituada galeria Jeau de Paume em Paris (Outubro de 2008) e participar, juntamente com Ângela Ferreira na Bienal de São Paulo de 2008.

 

Ângela Ferreira, Helena Almeida, José Pedro Croft e Vasco Araújo, representam ainda diferentes gerações de artistas portugueses, e se, José Pedro Croft e Ângela Ferreira são próximos na idade, o facto da artista da ter nascido em Moçambique, ex-colónia portuguesa, viria a determinar significativamente a temática das suas criações, transpondo-nos para contextos e realidades absolutamente distintos da conjuntura portuguesa de então.

Estes artistas encontraram uma arte muito própria, manifestando-se cada um deles, de forma absolutamente diversa tanto no suporte como na temática: as fotografias meditabundas a preto e branco de Helena Almeida, às esculturas colossais de Ângela Ferreira ou às suas fotografias, registos dos vestígios (Pegadas como a própria designou) do domínio colonial naquele país africano, ou as esculturas geométricas realizadas com materiais de industriais de Croft, e, por último, as obras de Vasco Araújo, que nos conduzem para interiores teatrais, encenados e imbuídos de um classicismo dramático típico das operas ou salões barrocos do século XVIII. Esta diversidade poderá, em nosso entendimento, revelar-se uma mais valia para o público da feira, porquanto possibilitará reconhecer e apreciar a evolução ocorrida na arte portuguesa nas últimas décadas da qual estes quatro artistas de mérito são exemplo.

 

FIAC  |  STAND C17

Artistas

DIAS & RIEDWEG, ÂNGELA FERREIRA, DANIEL CANOGAR, GÜNTHER FÖRG, HELENA ALMEIDA, JOÃO PENALVA, PETER ZIMMERMANN, PEDRO CASQUEIRO, JOSÉ PEDRO CROFT, PIA FRIES, PILAR ALBARRACÌN, VASCO ARAÚJO, SHRIN NESHAT, TRACEY MOFFATT, etc.